terça-feira, 16 de novembro de 2010

Pensando na vida...


Em meio a boletos, rescisão de funcionária, ilustrações e fim de ano estava eu cá com meu umbigo pensando.
Um ano passa rápido,né? Queria ter feito tanta coisa, fiz tantos planos mirabolantes, mas no meio da rotina massacrante só consegui fazer minhas obrigações e nada mais.
Sempre que chega o fim do ano eu fico assim. Na noite de Reveillon então, ufa! Choro igual a um bebê. Pelas coisas que deram certo, pelas que não deram, pelas que me fizeram feliz e pelas que me fizeram ficar triste, mas principalmente, por ter chegado ao fim de mais um ano sã e salva. Inteira.
E agradeço por tudo de bom que eu tive, que eu consegui, por todas as pessoas maravilhosas que tenho ao meu redor. E esqueço das coisas ruins. Porque o que faz mal tem que ficar pra trás. No ano que passou. Lógico que outros problemas e obstáculos virão, mas eu vou estar preparada. E as coisas boas que a vida me dá me incentivam a buscar sempre a felicidade e saber quando achei.
Não adianta a gente ficar a vida toda correndo atrás da felicidade sem enxergá-la nas pequenas coisas em que ela se apresenta. Uma nova amizade, um elogio, um dia de chuva sem compromissos, poder acordar mais tarde, uma mensagem de uma amiga que vc não vê há séculos.
Outro dia estava pensando naquela frase que todo mundo fala: Você colhe o que vc planta.
Há uns dois anos, uma pessoa que não tenho muito contato mas que gosto muito terminou um namoro de anos. Eu não tinha muita intimidade mas, não sei porque, resolvi ligar pra ela só pra dizer que eu soube e que se ela precisasse de alguma coisa que podia me ligar.
Agora, no meio do ano quando terminei meu namoro de um tempão também, ela foi uma das poucas pessoas que me ligou. Tenho amigas de anos, amigas mesmo, que simplesmente não me deram um telefonema. Ela que eu não via há bastante tempo, me ligou e me deixou feliz. Senti que o que eu tinha feito por ela, voltou pra mim. Um carinho, um cuidado. E mesmo que a gente ache que é só um telefonema, é só um cartão, é só uma visita, pra pessoa que o recebe pode ser muito mais que isso.
Nossa, comecei falando de fim de ano, terminei falando de "colheita de amor"...
Colheita de amor parece nome de música sertaneja, mas eu gostei.
Espero que 2011 seja um ano de muitas colheitas!!!!
Bjs!

3 comentários:

Isadora disse...

Thaís gostei muito da sua reflexão. Ao findar o ano devemos olhar com orgulho e satisfação por tudo o que fizemos. Podemos ter cumprido apenas com a rotina, mas se nós o fizermos da melhor forma é motivo de parabéns.
O que ficou para traz já foi e agora devemos olhar para o que se apresenta a nossa frente.
Um beijo

:::: Agnés disse...

Nem te digo como esse post veio na hora certa... fiquei a manhã olhando para um monte de papel e resolvi fazer a "faxina do ano", encontrei os convites do Evento 3 e dei muita risa, muita mesmo e das coisas mais divertidas que eu consigo me lembrar no meio de tanta correria e improvisação lá estava você!! Amei te conhecer, adorei seu jeito e corri pro computador para "ver" por onde você andaria... Te desejo mil felicidades e muitas oportunidades para fazer mais pessoas felizes, como você me fez há quase um ano atrás! OS vestidos ainda cabem, isso é o que vale!! ahahah BJOS

gle disse...

Tata, ontém estava ouvindo a "Radio Classique", e o senhor que estava apresentando o programa citou a seguinte frase: "Faça com que o sonho devore a sua vida para que a vida nao devore o seu sonho." (Saint Exupéry - autor de "O Pequeno Principe").
Pensei muito em você naquela hora...
Te amo amiga!!
Beijao
Gle ;-)