quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Dia da Gentileza


Ouvi dizer que dia 13 de novembro era o Dia da Gentileza, mas fui procurar no Google e tinha Dia da Gentileza em maio, abril... Fiquei em dúvida. Se é ou não, não sei, mas já estava com umas coisas sobre gentileza para escrever.
Ultimamente, uma coisa que tem me incomodadao muito nas pessoas é: "Ah, eu falo mesmo, sou grossa, não tô nem aí, mas eu falo!"
Com isso, a gente(EU!) que pensa antes de falar, que fica medindo palavras e melhores maneiras de tocar em assuntos para não magoar os outros, vai engolindo uns sapos. Eu estou com um brejo(é assim que se escreve isso?!) aqui no estômago.Um brejo da vida, pq não sou de falar. Nunca fui. Vou guardando e digerindo, escrevendo e remoendo, e quando eu vejo tô com um bolo no peito, uma angústia que não me larga.
Eu sempre acreditei no Gentileza, que não sei se era louco ou mais lúcido que todos nós, sempre repetindo que GENTILEZA GERA GENTILEZA.
Eu sou aquela que ouve as reclamações e alfinetadas e não revida. Fico com ódio mortal de mim mesma depois, pensando em tudo que eu poderia ter falado, as respostas que eu poderia ter dado e não dei, mas depois eu penso: o que vai mudar na minha vida se eu falar um monte de coisas que magoam só pra falar, só pra eu me sentir melhor e deixar o outro triste?
Provavelmente vc vai responder: o brejo!
Nossa, seria maravilhoso!Mas acho que eu me sentiria muito pior por machucar as pessoas que eu gosto só porque "eu falo mesmo" do que por deixar passar.
Eu gosto de fazer as pessoas felizes, quero que elas se sintam bem do meu lado e por isso continuo sendo gentil sim.
Antes eu brigava no trânsito e ficava fula da vida dirigindo, falava palavrão, xingava e não dava passagem e aquilo estava me fazendo muito mal pq eu dirijo muito pra lá e pra cá. Decidi mudar e resolvi começar a dar passagem. É impressionante como as coisas mudaram. Estou até dirigindo melhor, ouvindo Laura Pausini no meu radinho. Percebi que lutar por um espacinho no trânsito não vai me fazer chegar meia hora antes no lugar que eu tenho que ir. E de repente dando passagem pra alguém estressado como eu, vou fazer a pessoa perceber isso também. Sei lá, meio Corrente do Bem,né?(Quem lembra desse filme?!)
Beijos gentis!

Um comentário:

Glorinha Leão disse...

ô minha filha linda, como vc é melhor que eu!
quando eu crescer quero ser que nem você!
mas sabe, se eu não falar o que penso, quem fica com o bolo no peito sou eu...mas olha, já melhorei bastante...e cheguei a uma conclusão meio sinistra...o sangue que corre em minhas veias de um avô italiano maluco, vários malucos na família, mais as carências, pauladas, e tudo que aconteceu na minha vida, não poderia dar em coisa melhor...
estou tentando aprender com você a me tornar um ser humano melhor...quem sabe um dia eu consigo?
continua me ensinando?
beijos da mamãe que te ama.