domingo, 8 de agosto de 2010

Blogagem coletiva: DESEJOS


Como falei estou atrasada na blogagem que acontece toda sexta. Nessa sexta que vem EU JURO que não vou me atrasar!
Separei um texto antigo também para falar sobre desejos... acho que já até postei há muito tempo atrás mas é legal. Eu gosto dele.
Lá vai!
DESEJOS
O que as pessoas realmente querem?
A gente quer parecer na moda, legal, cheio de amigos e contatos, com um trabalho fascinante e um namorado de dar inveja nas outras. A gente ostenta aquilo que não tem pq desejamos ser aquilo que não somos, a gente sorri quando está triste porque queremos mostrar aos outros uma felicidade de fachada, contamos vantagem sem ter nenhuma e depois choramos sozinhos no escuro. Mantemos a pose fingindo ser fortes quando, na verdade, desejamos apenas um abraço de conforto.
Acho que buscamos a felicidade, nada além disso, mas buscamos os caminhos errados e mais complicados para conseguí-la. Desejamos o amor mas não lutamos por ele, para não deixá-lo morrer na correria do dia a dia, para não deixarmos que ele sufoque com a rotina. Preferimos continuar idealizando e desejando o que não temos ao invés de valorizarmos o que temos de precioso conosco.
Pensando nisso tudo, comecei a refletir sobre o que eu quero realmente.
Eu, sinceramente, desejo não todo o dinheiro do mundo, mas aquele tanto suficiente para confortar a mim e minha família.
Desejo não todos os sorrisos, mas a sabedoria para equilibrá-os com o choro inevitável de uma vida de verdade, que prega peças e dá rasteiras.
Desejo, não a paz num mundo utópico, mas a harmonia de uma sociedade que é capaz de conviver com amor no coração.
Desejo não a juventude eterna, que se arma com cremes novos a cada dia, que perde a naturalidade e nos transforma em escravos, mas a beleza real de um corpo que leva consigo as marcas das suas vivências.
Desejo não o amor idealizado do príncipe e da princesa, mas o amor que entranha, que cresce e completa, o amor que desarma, que apóia com o olhar, que diz sem palavras que está ali. Desejo o amor com suas diversidades, com seus defeitos, que dentro dos seus próprios limites, floresce e diz que ama.
Desejo não o trabalho mais glamouroso, mas aquele que seja reconhecido por pessoas que saibam ser tocadas por ele e que com isso possam admirá-lo.
Desejo tudo isso mas com a simplicidade de uma menina sonhadora. desejo achar uma pérola numa ostra e ouvir o choro do bebê da inha amiga. Desejo entrar na igreja com meu pai e deitar na rede numa noite quente com meu amor. Desejo ter pulso firme com meus filhos e ter a competência para ser mãe. Desejo ver nos olhos do meu marido o amor estampado, mesmo anos e anos depois.
Desejo ter uma casa de praia onde o sol se ponha suave e pinte as paredes no fim de tarde. desejo ser sempre uma boa amiga e nunca negligenciar minha amizades. Desejo minha família sempre do meu lado e ter sempre a segurança de poder contar com os conselhos do meu pai, ouvir as palavras gentis dele toda vez que eu preciso.
Desejo fazer festas divertidas para ver minha mãe voltar a ser criança e dançar até de manhã. Desejo pagar todo o dinheiro que eu pegava escondida do cofrinho do meu irmão e descobrir como ele sempre tinha mais dinheiro do que eu se ele nem trabalhava ainda.
Desejo coisas simples, pequenas e tangíveis que quando paro pra pensar me fazer rir por serem bobas ou enchem meus olhos d´água por serem momentos tão mágicos, tão simplesmente mágicos, que podem me trazer toda a felicidade que eu almejo.
Thaís Leão
20/10/05
Bjs

5 comentários:

Glorinha L de Lion disse...

Lindo....se me perguntasse o que eu desejo nesse momento, além do meu livro te responderia: que vc encontre o seu princípe e que ele te faça a sua rainha.
bjs.

Glorinha L de Lion disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Beth/Lilás disse...

E eu desejo que todos os seus desejos se realizem.
bjs cariocas

Mariana disse...

Nossa, que lindo, Thais!!! Meus olhos se encheram de lágrimas... Realmente temos que dar valor a momentos simples e mágicos como esses que você citou.

Beijinhos

Lúcia Soares disse...

Thaís, a veia de escritora você tem, como sua mãe. Lindo texto.
Desejo que seja mais e mais feliz.
Beijos!